Buscar
  • Caminhos do Rio Grande

Turismo reforça candidatura dos Cânions do Sul na Unesco

Atualizado: 7 de Set de 2019





No último dia da missão internacional em Paris, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, esteve na sede da Unesco para defender a candidatura dos Cânions do Sul, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina (FOTO), como geoparque da humanidade. Apesar de ser considerado o primeiro do mundo em atrativos naturais pelo Fórum Econômico Mundial, o Brasil atualmente só tem a Serra do Araripe, no Ceará, na Rede Global de Geoparques da Unesco.


O reconhecimento de uma entidade como a Unesco é fundamental para potencializarmos o turismo na região. Tenho certeza de que obteremos êxito nessa missão”, comentou o ministro do Turismo. De acordo com as autoridades do turismo regional, o título de geoparque do planeta deve promover um salto na visitação das atuais 500 mil para 3 milhões de pessoas por ano. “O nosso desafio é aliar conservação dos nossos atrativos naturais com desenvolvimento”, completou Marcelo Álvaro Antônio.



Aparados da Serra, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina.
Aparados da Serra, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina.


A reunião do ministro foi com a diretora Shamila Nair-Bedouelle, responsável pela área que cuida da Rede de Geoparques da Unesco. Ela elogiou a iniciativa do Brasil em pleitear a inclusão dos Cânions do Sul na lista. “O Brasil está certo em apresentar as suas riquezas naturais para o Brasil e o mundo por meio do turismo responsável”, afirmou Shamila. Único atrativo brasileiro incluído na Rede, a Serra do Araripe passou a integrar a lista em 2005. Desde então, antes dos Cânions do Sul, o Brasil não tinha apresentado nenhuma outra candidatura.


Durante o encontro, a diretora da Unesco disse que não entende porque o Brasil, tão rico naturalmente, não tem atualmente mais geoparques pertencentes à Rede. Ela sugeriu que o governo faça um mapeamento de outras áreas de interesse. O ministro do Turismo se comprometeu a articular com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esse trabalho. “Iniciamos um novo momento na história política do nosso país, com uma visão de desenvolvimento e de busca de novos turistas, sem deixar de olhar para a preservação do meio ambiente”, afirmou o titular da Pasta.


Em dois dias de missão na capital francesa, o ministro defendeu também as candidaturas de Paraty como patrimônio misto da humanidade – natural e histórico –, do bumba meu boi do Maranhão como patrimônio imaterial e reuniu-se com o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, para captar uma etapa da Formula E ao Brasil.


ESTATÍSTICAS MUNDIAIS DO TURISMO


Ainda em Paris, nos dias 24 e 25 de junho, o subsecretário de Inovação e Gestão do Conhecimento, Marcelo Garcia, participou da Working Party on Tourism Statistics, uma conferência internacional organizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre dados e estatísticas do turismo. No evento, Garcia fez uma apresentação sobre o interesse crescente do Brasil em inovação, coleta e uso inteligente dos dados a partir da consolidação de um Big Data que ajude o país em decisões estratégicas.