Buscar
  • Pelos Caminhos do RS

Duas regiões gaúchas buscam certificação como geoparques mundiais junto à Unesco


Territórios de Caçapava do Sul e da Quarta Colônia (FOTO) envolvem dez municípios do Rio Grande do Sul. (FOTO: BRUNO SILVA/GEOPERQUE QUARTA COLÔNIA/DIVULGAÇÃO)


O Ministério das Relações Exteriores encaminhou à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o pedido oficial para a certificação dos territórios de Caçapava do Sul e da Quarta Colônia como geoparques mundiais.


Foram enviados dossiês, elaborados pelas comunidades regionais com apoio da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), sobre as duas regiões.


Este é considerado o antepenúltimo passo para que os territórios sejam reconhecidos mundialmente como espaços únicos no mundo. Se aprovadas, as duas regiões receberão uma visita de representantes da Unesco, que serão responsáveis por um relatório final (penúltima etapa) a ser discutido em reunião anual da entidade (última etapa).


Atualmente, há 169 geoparques globais da Unesco em 44 países.


A rede foi estabelecida em 2004, numa parceria entre a Unesco e a União Internacional de Ciências Geológicas (IUGS), visando distinguir áreas naturais com elevado valor geológico, nas quais esteja em prática uma estratégia de desenvolvimento sustentável, baseada na geologia e em outros valores naturais ou humanos.


Entre 12 e 16 de novembro deste ano, integrantes da Unesco percorreram sete cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina que juntas formam o Geoparque Aspirante Caminhos dos Cânions do Sul.


O projeto é candidato a geoparque desde 2019, quando enviou o dossiê à Unesco. Os representantes da missão entregarão um relatório final ao conselho global de geoparques da Unesco.


O estudo irá para a pauta da diretoria da Unesco, na reunião que ocorre na primavera do hemisfério Norte.


Ou seja, o resultado deve ser divulgado até o final do primeiro semestre de 2022. Se aprovado, o Caminhos dos Cânions do Sul será o segundo geoparque no Brasil a fazer parte da Rede Mundial de Geoparques — o primeiro brasileiro a ter reconhecimento internacional, há 15 anos, foi o Geopark Araripe, no Ceará.


No caso dos dois geoparques gaúchos que encaminharam os dossiês na semana passada, os processos ainda não têm data para serem concluídos.


O Geoparque Quarta Colônia é formado por nove municípios da região central do Estado: Agudo, Dona Francisca, Faxinal do Soturno, Ivorá, Nova Palma, Pinhal Grande, Restinga Sêca, São João do Polêsine e Silveira Martins.


A iniciativa é do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Quarta Colônia (Condesus) e da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).


Já o Geoparque Caçapava fica em Caçapava do Sul e conta com 22 geossítios. A UFSM e a Unipampa estão envolvidas no projeto. Segundo o pró-reitor de Extensão da UFSM, Flavi Ferreira Lisboa Filho, o envio dos dossiês à Unesco representa um marco fundamental na caminhada rumo a certificação dos territórios da Quarta Colônia e de Caçapava.


— Esse trabalho é extensionista raiz, porque foi feito em conjunto com as instituições e as pessoas de ambos territórios. Estamos muito felizes com esse momento. Ainda há muito trabalho pela frente, os desafios só aumentam nesta caminhada, mas estamos com ânimo e disposição para seguir adiante, cumprindo, especialmente, com o desafio seis do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFSM, que é o de desenvolvimento local, regional e nacional - comentou.


Já o professor e diretor da Universidade Federal do Pampa – campus Caçapava do Sul (Unipampa), José Rojas, afirma que o envio do dossiê representa a materialização do objetivo do campus da Unipampa, com cursos, em sua estrutura, que levam em consideração as características geológicas e ambientais da região:


— Percebe-se que a cidade está em transformação e a sociedade entendeu as riquezas naturais que o município tem, despertando na população e na comunidade acadêmica o desenvolvimento responsável tanto social quanto ambiental.


O que é um geoparque?


Geoparque é um território com limites definidos e com uma estratégia de desenvolvimento sustentável.


É um local com relevância geológica internacional, incluindo também bens naturais e culturais, que é promovido com foco na conservação da natureza, na educação para a sustentabilidade e no desenvolvimento econômico por meio do turismo.


Ampliando a conscientização sobre a importância destes locais, os geoparques fortalecem a identificação das pessoas com estes territórios e estimulam novas oportunidades de desenvolvimento econômico sustentável.


Além de reafirmar o compromisso da promoção do desenvolvimento local sustentável, os dossiês enviados são compostos de autoavaliações de elementos, como a geologia, a educação, a informação e o desenvolvimento local sustentável.


A partir das informações indicadas nos relatórios que a Unesco, em uma visita presencial, avalia aspectos e características que justificam o título de geoparque.

*Por: Aline Custódio | GZH.

Publicado em 06/12/2021 - 16h48min.

__________________________________________

NOTÍCIAS SOBRE TURISMO, CULTURA, NEGÓCIOS E SERVIÇOS DO RIO GRANDE DO SUL?

ACESSE: www.peloscaminhosdoriogrande.com.br/noticias

CONTATO/WHATSAPP: 51. 9. 9855. 0051

__________________________________________